CIVITATE - INCENTIVADORES

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

CEARÁ - "CRISE INSTALADA NA POLÍCIA CIVIL COM NOVAS TROCAS DE ACUSAÇÕES"

"Mais um capítulo na novela em crise da Polícia Civil. Em novas trocas de farpas públicas, delegados reforçam denúncias, nesta sexta-feira (6), contra o superintendente da Poícia Civil, Luiz Carlos Dantas.

Em entrevista à imprensa, a delegada Alexandra Medeiros e o delegado Francisco Cavalcante, afastados dos cargos, negaram nesta sexta a prática de tortura contra presos e acusaram Luiz Carlos Dantas, de armar uma trama para incriminá-los.

De acordo com a dupla, tudo teria sido feito para afastá-los das investigações do crime do Cláudio Kmentt em 2004. E o delegado Francisco Cavalcante vai além e aponta envolvimento de Dantas com o crime organizado. Em resposta às acusações, a Polícia Civil emitiu nota oficial sobre as denúncias dos ex-delegados.

Pela 1ª vez, Cid Gomes fala da crise da Polícia Civil, defendendo secretário

"Não me causa nenhuma surpresa crises nessa área (...) Enquanto, não identificarmos os tumores e não expugar-los, aí teríamos problemas. À medida, que vemos notícias que identificam má conduta, e a partir disso são instalados inquéritos, assegurando o direito de defesa, punindo os responsáveis, aí sim estamos no caminho certo. E esse é o caminho do secretário [Roberto Monteiro] que, com muita segurança e muita tranquilidade, tem agido"

RAIO-X DE NOVAS DENÚNCIAS

PARTE 1 - Entenda o caso - A polêmica em torno do assunto surgiu depois da prisão de uma quadrilha na semana passada. No depoimento na Delegacia de Aquiraz, os acusados teriam revelado a participação do superintendente da Polícia Civil no atentado que aconteceu contra a delegada e o marido dela, em agosto do ano passado. Luiz Carlos Dantas teria como objetivo calar a delegada que investiga um crime de pistolagem, ocorrido em 2004, e que vitimou o lagosteiro Cláudio Kmentt.

PARTE 2 -Delegada acredita ser vítima de uma farsa - Exonerada do cargo pelo secretário de Segurança Pública, Roberto Monteiro, depois da denúncia do crime de tortura contra presos, a delegada Alexandra Medeiros diz ser vítima de uma trama elaborada nos bastidores da Polícia Civil, que pode inclusive tirar a sua vida.

"A gente vai provar que isso é uma farsa. A gente vai provar que nada disso aconteceu. Quero que seja investigada a tortura, porque vai provar que eu não estou mentindo", disse Alexandra. "Ele [Luiz Carlos Dantas] foi citado como sendo uma pessoa suspeita da prática de alguns delitos. Qual é a lisura que o procedimento vai ter quando o homem é o superintendente?", completou.

PARTE 3 - "Doutor Dantas, no dia, deu cobertura a essa quadrilha", acusa delegada - A delegada ressalta que não tem dúvidas da participação do superintendente. "Eu tenho certeza absoluta que ele violou local de crime e que ele coagiu testemunhas", disse Alexandra. O delegado Cavalcante endossou as afirmações da delegada. "A quadrilha que tentou exterminar a doutora Alexandra, o esposo dela, e mais os dois filhos menores, é a mesma que foi presa por mim, que o doutor Dantas, no dia, deu cobertura a essa quadrilha, inclusive intimidando o vigia, a principal testemunha".

PARTE 4 - Promotor nega versão de Dantas e diz não ter havido tortura Aquiraz- Em relação à denúncia de prática de tortura, a delegada Alexandra Medeiros conta com um importante depoimento a seu favor: o promotor de Justiça responsável pela 9ª Vara Criminal, Sávio Amorim, esteve na Delegacia de Aquiraz no dia em que a quadrilha foi presa, e diz não ter constatado nenhuma irregularidade.

PARTE 5 - Vigia afirma ter sido coagido pelo superintendente - O vigia da rua onde morava Alexandra, o marido e os filhos, falou sobre a tentativa de homicídio contra a delegada. Com uma toalha na cabeça, para não revelar a identidade, o vigia disse que foi coagido pelo superintendente Dantas. A delegada Alexandra deixou um alerta: "o que acontecer com a minha família, com qualquer um de nós aqui, eu responsabilizo o Dantas"."

(Fonte: Portal da TV Jangadeiro e Portal do SVM)

2 comentários:

  1. É mais uma prova de que as polícias cearenses são comandadas pelo crime organizado, onde cidadaos passam a serem bandidos enquanto bandidos viram vítimas, enquanto as "chefias" assistem tudo de camarote e nada fazem. São todos bandidos.

    ResponderExcluir
  2. Se o sr. cel.tivesse tido inteligencia bastante,não teria perdido a oportunidade quando era cmt da pmce.hoje desacreditado e esquecido no tempo.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.