CIVITATE - INCENTIVADORES

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

CEARÁ - "LUIZ PONTES EXIGE COMANDO NA POLÍCIA"

"Para o deputado Luiz Pontes, o investimento que o governador faz na Segurança é o maior de todos os tempos."

"O deputado Luiz Pontes (PSDB) cobrou ontem, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa, comando por parte da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Para o parlamentar, comando é o que está faltando para a área da Segurança no Estado do Ceará, pois argumenta que o governador Cid Gomes vem investindo muito alto no setor e até agora não há diminuição nos índices de criminalidade. Para o deputado, o atual secretário de Segurança, Roberto Monteiro deveria deixar o cargo.

"A secretaria precisa tomar uma posição. Não podemos conviver com o alto índice de criminalidade e o governador disponibilizando tudo para a Polícia. Está faltando gestão, comando", afirma o tucano, que declarou não concordar com algumas ações tomadas pelo secretário Roberto Monteiro, como a exoneração do ex-delegado da Delegacia de Narcóticos (Denarc), César Wagner.

O parlamentar pontuou uma série de medidas adotadas pelo governador, nos últimos três anos para melhorar a Segurança no Estado, como a contratação de mais policiais, a implantação do Programa Ronda do Quarteirão, a construção de novas delegacias, mas lamenta que tudo isso não vem gerando resultados positivos nessa área.

Segundo Pontes, a prova de que a violência cada vez mais ganha espaço no Estado, foi a notícia divulgada na última segunda-feira no Diário do Nordeste, que informou do surgimento de zonas proibidas na Capital cearense, ou seja, locais em que o poder público não entra. "Tem que ter permissão do bandido para entrar. Essa é a nossa realidade", lamentou.

Gestão

Para o tucano, falta autoridade para impor mudanças no atual quadro da Segurança Pública, deixando claro que o titular da SSPDS deixa a desejar. "Está se gastando muito e não tem resultado. É uma questão de gestão, de autoridade, de uma pessoa que se imponha", opinou.

Para o deputado Heitor Férrer (PDT), o que falta é educação. Ele admite que Governo vem disponibilizado milhões para enfrentar o problema da violência, mas concorda que até agora não tem logrado êxito, assegurando que se continuar somente com essa tática, não obterá nenhum resultado positivo com os seus investimentos.

Férrer alega que o Governo do Estado tem que se atentar para a base geradora dessa violência, o que acredita ser a falta da educação. "O governador era para ter tido outra visão para solucionar concretamente o problema da violência. E a causa está nas desigualdades sociais que só serão desfeitas com educação", atesta.

Férrer diz que basta olhar os Diários Oficiais do Estado para ver o montante de recursos que o Governo vem alocando para o combate à violência, mas reitera que falta a sensibilidade de priorizar a educação como ponto principal para melhorar a segurança pública. "O combate à violência pela violência, pela repressão, não há como lograr êxito", enfatiza.

Educação

O deputado Artur Bruno (PT) enfatizou que o Governo tomou duas decisões corretas na área da educação, a priorização da alfabetização na idade certa e a implantação de escolas de tempo integral, para o parlamentar, passos importantes para melhorar o nível da educação no Estado.

Já o deputado Guaracy Aguiar (PRB) atentou para o fato de que as soluções para os problemas numa área como a da Segurança, não têm efeitos imediatos. Por seu turno, o deputado Edson Silva (PSB), destacou que a causa principal dessa violência no Estado é por conta das drogas, sobretudo entre os jovens.

Segundo ainda o deputado, o governador Cid Gomes já decidiu criar um órgão específico para combater o tráfico de drogas que tem entrada fácil no Estado pela falta de policiamento nas nossas fronteiras. Reconhece, porém, o deputado, que o com bate ao tráfico e uso de drogas é da competência da Polícia Federal."

(Fonte: Jornal Diário do Nordeste - Portal do SVM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.