CIVITATE - INCENTIVADORES

terça-feira, 31 de agosto de 2010

VÁRIOS PMs PRESOS POR SUCESSÃO DE CRIMES NO CEARÁ

O sargento Francisco Gilberto Costa e os soldados Elano Ribeiro Freitas e Francisco Marinho Silva Queiroz, presos em flagrante, por extorsão contra um comerciante do bairro Ellery, em Fortaleza - CE, foram transferidos, na manhã desta terça-feira (31/08) para o Presídio Militar da PMCE, no quartel do 5ºBPM. O trio aguardará preso as conclusões do inquérito policial, instaurado no 1º DP (Monte Castelo), e do procedimento aberto no Conselho de Disciplina da Polícia Militar.

Além dos três policiais presos por extorsão na noite de ontem (30/08), houve a prisão do soldado Francisco Edílio Paulo dos Santos, em Pindoretama, quando dirigia o carro ocupado pelos irmãos Roberto Norberto de Souza, 39 anos, e Pedro Nazareno Norto de Souza, 46 anos, acusados de tentativa de assalto a um mercadinho localizado no distrito de Guanacés, em Cascavel - CE.

Esses crimes que têm policiais militares como autores continuam a abalar a imagem da corporação. O relações públicas da Polícia Miltiar, major Marcus Costa disse que os fatos trazem duas vertentes. A primeira realmente mancha a reputação da corporação, tendo em vista que pessoas que fizeram juramento de honrar a farda estão, na verdade, sendo bandidos.

A vertente positiva é que, nos episódios da última segunda-feira, as prisões dos policiais militares foi efetuada pelos colegas de farda. Segundo Marcus Costa, para o comando geral da PM, isso mostra que a maioria dos policiais militares não compactua com o comportamento dos acusados.

Os policiais militares serão submetidos ao Conselho de Disciplina porque estão há mais de 10 anos na corporação. O prazo de conclusão é de 30 dias, prorrogável por mais 20. O major Marcus Costa ressalta que a sociedade deseja que todos sejam expulsos de imediato, mas não existe base legal para tal decisão. “A nossa preocupação é fzer um procedimento bem feito, para evitar que eles, caso seja comprovada a culpa, não logrem êxito nos recursos a que têm direito. É por isso que o prazo para a conclusão é longo”, frisa.

Com relação ao inquérito policial, como houve flagrante, o prazo é de dez dias, entretanto o delegado, ao encaminhar os autos à Justiça, pode solicitar a devolução para que as investigações tenham prosseguimento. Nesse caso, o novo prazo é determinado pelo juiz responsável pelo processo.

(Fonte: Com informações de Jangadeiro online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.