CIVITATE - INCENTIVADORES

segunda-feira, 15 de março de 2010

LULA CHEGA A JERUSALÉM EM VISITA HISTÓRICA AO ORIENTE MÉDIO

"O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou neste domingo (14/03) a Jerusalém para a primeira visita de um chefe de Estado brasileiro a Israel e territórios palestinos, comprovou a AFP.

O programa oficial da visita começará nesta segunda-feira com um encontro entre Lula e o presidente israelense, Shimon Peres.

Lula, que viaja acompanhado de uma delegação de 80 empresários, se reunirá ainda na segunda-feira com o premier israelense, Benjamin Netanyahu, e a líder da oposição, Tzipi Livni.

Na terça-feira, o presidente brasileiro tem prevista viagem para a Cisjordânia, onde se reunirá com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas, e com o primeiro-ministro palestino, Salam Fayad.

A agenda prevê, inclusive, que Lula pernoite em Belém sem retornar a Jerusalém, antes de seguir para Ramallah, na quarta-feira, um gesto de elevado peso simbólico.

Em seguida, o presidente brasileiro viajará para a Jordânia. Em Amã, Lula se reunirá com o rei Abdullah II, onde discutirá o papel que o Brasil pode desempenhar nas negociações de paz e analisar a tensa situação internacional criada pelo polêmico programa nuclear iraniano.

A visita de Lula ocorre em meio a uma crise entre Israel e Estados Unidos, seu maior aliado, após o anúncio, esta semana, pelo governo de Netanyahu, da construção de 1.600 casas suplementares em Jerusalém oriental, durante a visita do vice-presidente americano, Joe Biden.

O Brasil fez coro à condenação internacional contra a decisão israelense de construir novas casas no setor majoritariamente árabe da cidade santa, anexado em 1967 pelo Estado hebraico.

Durante a visita, a principal diferença entre o Brasil e Israel deverá ser o tema nuclear do Irã, considerado pelos dirigentes israelenses a principal ameaça ao seu país.

Ao receber, em Brasília, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, na semana passada, Lula disse ser contrário à adoção de novas sanções contra o Irã.

Em entrevista concedida a vários meios de comunicação israelenses, entre eles o jornal Haaretz, Lula insistiu nesta posição, ao afirmar:

"Temos que evitar fazer no Irã o que fizemos no Iraque. E antes de qualquer sanção, temos que fazer tudo o que for possível para favorecer a paz no Oriente Médio", disse, na entrevista publicada nesta sexta-feira.

"Por isso, visito Israel, Palestina e Jordânia e, por este motivo, visitarei o Irã em maio", afirmou.

"Mediante o diálogo, acho que poderemos resolver os problemas, todos os conflitos que hoje parecem não ter solução", acrescentou Lula, que recebeu o presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, no Brasil, em novembro.

A viagem de Lula ao Oriente Médio representa o mais importante esforço feito até agora pelo governo para tentar situar o Brasil como interlocutor para as negociações entre israelenses e palestinos.

O governo brasileiro vem mobilizando uma forte ofensiva diplomática para tentar colocar o país como interlocutor nesta questão, com vistas a fortalecer sua posição como aspirante a um cargo permanente no Conselho de Segurança da ONU se houver uma reforma da organização.

O Brasil ocupa atualmente um assento não-permanente rotativo no Conselho de Segurança, órgão máximo de decisão das Nações Unidas."

(Fonte: AFP, Uol)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.