CIVITATE - INCENTIVADORES

sábado, 15 de janeiro de 2011

MEMÓRIAS DE UM CORONEL DE POLÍCIA 274

Em 1981 integrava a Diretoria da AAGEF - Associação Acadêmica General Edgard Facó, órgão representativo dos Cadetes da Academia de Polícia Militar General Edgard Facó, da PMCE, quando aceitamos o desafio de ajudar o Presidente da AAGEF, Cadete José Ananias Duarte Frota, e toda a sua Turma de Cadetes do 3º Ano, que seriam Declarados Aspirantes naquele ano, a reeditar e relançar a Revista Alvorada, uma revista comemorativa da Polícia Militar do Ceará, que era lançada anualmente por ocasião da solenidade alusiva a conclusão do Curso de Formação de Oficiais e a respectiva Declaração dos Aspirantes a Oficiais.

Desde meados dos anos setenta que a Revista Alvorada não era editada. Então, com a ajuda de outros colegas e sob a coordenação dos Cadetes José Ananias Duarte Frota, Antônio Ésio Almeida Silva e José Carlos Araújo Chagas, conseguimos fazer a reedição e o relançamento da Revista Alvorada em dezembro de 1981 (capa da revista acima). Contribui também escrevendo dois artigos para a revista de 1981: Força, companheiros! e O Bom senso, a educação e a função do policial militar.

A Turma de Aspirantes de 1982 não prosseguiu o feito e a Revista Alvorada mais uma vez deixou de ser editada naquele ano.

Em 1983, ano em que nossa Turma terminaria o CFO e seríamos Declarados Aspirantes, foi decisivo para novamente reeditarmos e relançarmos a Revista Alvorada.

Naquele ano também pertencia a AAGEF, que na oportunidade era presidida pelo Cadete Francisco Carlos Fernandes Ribeiro, quando então sob nossa coordenação e do Cadete Paulo Pimentel da Silva, e a colaboração dos demais Cadetes daquele 3º ano, conseguimos mais uma vez revigorar a Revista Alvorada, e no dia 9 de dezembro de 1983 ela foi relançada (abaixo podemos visualizar a capa e contra-capa da edição de 1983). Nessa edição de 1983 também colaboramos com os artigos: Política x Polícia Militar e O Aluno Oficial PM.

A Revista Alvorada continuou a ser editada até fins dos anos dois mil de forma sazonal.


Um comentário:

  1. Estimado Bessa,
    Memórias de um tempo em que a saudosa APM com sua insígne pléiade de instrutores e professores forjava oficiais de alto quilate fortalecendo a virtude da liderança de amigos de sua estirpe.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.