CIVITATE - INCENTIVADORES

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

MEDIDAS DE SEGURANÇA

"São inegáveis o esforço e os investimentos realizados pelo Governo Estadual, nos últimos três anos, na segurança pública e defesa da cidadania. Desde que assumiu, o Governo deu claros sinais de que esta seria uma área prioritária, ao nomear como secretário um delegado da Polícia Federal legalista e com sólida formação humanista, e iniciar a implantação do Ronda do Quarteirão, entre outras medidas, visando mudar para melhor a sofrível segurança pública no Estado, nas duas últimas décadas.

E, efetivamente, esta vem sendo a linha adotada pelo Governo, com o fortalecimento e ampliação do Ronda e as, nem sempre bem compreendidas, medidas determinadas pelo secretário Roberto Monteiro, em defesa da legalidade. Contudo, também não se pode negar que a escalada da violência e da criminalidade continua sendo a principal preocupação dos cearenses, como registram as pesquisas de opinião pública sobre o desempenho do Governo Cid Gomes.

De fato, a recorrência diária de crimes comuns e do crime organizado atingindo, inclusive, agentes da segurança pública em serviço, e o aumento das estatísticas da violência e da criminalidade são motivos mais do que suficientes para deixar o cidadão inseguro.

Essas evidências deveriam levar o Governo a avaliar e discutir com a sociedade a eficiência, se não do modelo de segurança pública implantado no Ceará, os pontos que se apresentam claramente vulneráveis, como a falta de instrumentalização e de manutenção adequadas da cara e moderna frota de veículos do Ronda do Quarteirão, bem como o despreparo de seus homens em serviço.

No auge do acirramento da crise na segurança pública, além do momento da reforma do secretariado estadual imposta pelas eleições de outubro, esta pode ser uma boa hora para a correção de rumos, mudanças de diretrizes, estratégias e, quem sabe, até dos comandos desta área considerada prioritária pelos cearenses, que também se revelam decepcionados com os resultados até aqui alcançados."

(Fonte: Editorial do Jornal o Estado, 23/02/2010)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.