CIVITATE - INCENTIVADORES

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

TERRITÓRIO DA PAZ SEM PAZ

(O 165º homicídio no "Território da Paz" de Fortaleza em 2010)

Lendo uma matéria do Jornal Diário do Nordeste, edição de hoje (1º/12), dando conta do número de assassinatos registrados na área do Programa "Território da Paz" do Governo Federal, em Fortaleza - CE, de que "subiu para 165 o número de pessoas assassinadas, somente neste ano de 2010, naquele "Território da Paz", área que abrange os bairros Bom Jardim, Granja Lisboa, Granja Portugal, Siqueira e Canindezinho", fiquei estarrecido.

De janeiro até ontem (30/11), foram registrados 64 assassinatos somente no bairro do Bom Jardim. Esses números são maiores do que os registrados antes da intervenção do governo através do programa naquela área da capital.

O "Território da Paz" não tinha Base Territorial

Quando o então Primeiro Ministro Inglês Sir Robert Peel estabeleu em 1829 os Princípios da Polícia Moderna, o 4º e 9º princípios já priorizavam a existência de uma Base no Território.

Assim também foram estabelecidos em 1980 os Princípios da nova Polícia Ostensiva Brasileira, no Manual Básico de Policiamento Ostensivo da IGPM - Inspetoria Geral das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares. Lá a premissa básica estabelecida é a Base Territorial dentro das suas variáveis, a Forma (desdobramento e escalonamento) e o Lugar (urbano e rural).

Foi crasso o erro cometido pelo governo de não estabelecer uma Base Territorial Integrada naquele "Território da Paz" de Fortaleza.

Por outro lado, a mesma matéria diz que hoje, quarta-feira (1º/12) - entendo como um ajuste necessário -, será inaugurada no Bom Jardim, uma Base de Policiamento do Ronda do Quarteirão. Ainda bem que o despertar chegou, pois tínhamos um território tipo "corpo sem cabeça".

Em 2007 quando começamos a desenvolver a estrutura do PID - Policiamento Integrado e Dinâmico, como um "laboratório" na Polícia Militar do Ceará para o Programa Ronda do Quarteirão, contemplamos os territórios com Bases, foi assim no 1º - Porto das Dunas; no 2º - Vila Velha e no 3º - Jabuti. Tudo como ensinamentos e lógicas básicas práticas da atividade de segurança pública.

Mesmo no pouco tempo que estivemos no Comando da PMCE (menos de nove meses), implantamos três Bases e estávamos estruturando outras cinco, inclusive já com os locais das Bases disponíveis num esforço com as comunidades que seriam contempladas. E o que fizeram? Acabaram crassamente as Bases do PID com a efetivação do Programa Ronda do Quarteirão.

Ora, somente o Policiamento Motorizado com as emblemáticas Hilux, por exemplo, causam um fenômemno chamado em segurança Pública de "insulamento". Isso ficou patente desde os primórdios do Policiamento de Radiopatrulha (Detroit - EUA). É o que está acontecendo aqui em Fortaleza, mas não tão presente nas cidades menores do interior do Ceará, onde a Base Territorial está mais próxima (BPM, CIA PM, PPM, GPM, DPM ou Núcleo). Cidades de médio porte, como Maracanaú, Caucaia e Juazeiro do Norte, por exemplo, principalmente aquelas com mais de 100 mil habitantes, carecem igualmente de tal estratégia que deve ser aplicada em Fortaleza.

O que o Rio de Janeiro está Fazendo atualmente? UPPs - Unidades de Polícia Pacificadora, contemplando Bases Territoriais!

O que a futura Presidente Dilma está prometendo para os próximos quatro anos? implantar 2883 PPCs - Postos Policiais Comunitários!

A nova onda mundial e os tempos exigem cuidados com o ser humano (inclusive com os policiais e suas famílias), com o território e as necessárias intervenções interdependentes, ou seja, exigem Segurança Global.

Entretanto, diante de tudo, não esqueçam: a Base Territorial por si só não basta. É verdade que o corpo deve ter cabeça, mas deve possuir principalmente coração... e alma !

(Base do PID Porto das Dunas - Inaugurada em 10/01/2007. Foi desativada)

(Base do PID Vila Velha - Inaugurada em 01/02/2007. Foi desativada)

(Base do PID Jabuti - Inaugurada em 12/03/2007. Foi desativada)

(Fonte: Adail Bessa de Queiroz - Ms. em Segurança Pública)

2 comentários:

  1. Por que não melhorar dando mais infra-estrutura estes locais que já tinham desemvolvido um bom trabalho comunitário? A política que é praticado em nosso País,principalmente em nosso Estado é, sempre desfazendo o que já está funcionando bem, e recomeçando outros trabalhos sem bons resultados.

    ResponderExcluir
  2. Cel.Bessa,parabens pelo belissimo trabalho comunitário.Tenho a certeza que ainda vou ver novamente o senhor dando à continuidade e a contribuição de seu potêncial em seus trabalhos voltado as comunidades carentes.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.