CIVITATE - INCENTIVADORES

segunda-feira, 31 de maio de 2010

TENENTE CORONEL É ASSASSINADO

"Militar experiente de infantaria, o Tenente-Coronel César Luis Bezerra Sylos era treinado para o combate corpo a corpo até na selva amazônica. Subcomandante do 18º Batalhão de Infantaria Motorizado (18º BIMtz), estava à frente de uma das unidades de elite do Exército. No sábado à tarde, aos 47 anos, tombou morto a tiros por ladrões que atormentam motoristas e comerciantes em Sapucaia do Sul - RS.

Sylos foi surpreendido quando entrava à paisana em um supermercado na Rua João Cândido, no bairro Piratini, em Sapucaia. Ele se negou a entregar a chave da sua S-10 a bandidos que tentavam fugir após assalto ao estabelecimento.

Foi também por instinto de pai que Sylos reagiu à abordagem dos ladrões. O militar queria evitar que a caminhonete dele fosse levada pelos bandidos, pois a filha adolescente estava a sua espera dentro do carro, estacionado a meia quadra da entrada do supermercado Pague Menos, no bairro Piratini, distante cerca de um quilômetro do apartamento do militar.

Conforme informações da Brigada Militar, depois de recolher pertences de vítimas e R$ 1,3 mil dos caixas do comércio, dois bandidos exigiram um carro para fugir. Pegariam um veículo dos donos do estabelecimento, mas na confusão – havia mais de 30 clientes no local – os proprietários se desvencilharam dos bandidos.

– Vi dois aqui dentro. Eram muito violentos. Me agrediram com coronhadas na cabeça, e quando a gente conseguiu escapar para os fundos, eles se atrapalharam. Iam saindo na porta e viram o senhor (Sylos) carregando a chave do carro. Estamos arrasados – relembrou ontem o comerciante Marco Aurélio Weide, 31 anos.

Um dos criminosos agarrou a mão do militar, que, sem perceber o que se passava, fez um movimento brusco, puxando o braço.

– Isso é assalto – gritou o bandido, irritado.

Polícia faz retratos falados, e BM vigia acessos a Sapucaia

O militar começou a caminhar para trás, saindo para a rua. Segundo informações da BM, Sylos teria tentado sacar da cintura sua pistola calibre nove milímetros. Os bandidos perceberam a intenção de Sylos e abriram fogo. Mesmo que conseguisse pegar a arma, possivelmente o oficial perderia tempo até poder disparar. Seguindo norma do Exército, a pistola de Sylos não estaria pronta para disparar – o pente tinha munição, mas não havia cartucho na câmara (junto ao cano).

– Ele precisaria fazer o que chamamos de golpe de segurança. A arma estava alimentada, mas, provavelmente, não municiada – afirmou o major Ronie Coimbra, comandante da BM em Sapucaia do Sul.

Na Brigada, por causa do risco iminente de confronto, os PMs são orientados a sempre usar pistolas prontas para o disparo. Sylos foi atingido por três tiros – o primeiro no ombro esquerdo e outros dois nas costas.

– Foi muito triste ver a cena do militar no chão e a filha, ao celular, ligando para a mãe – lamentou a comerciante Nelcina Weide, 62 anos.

Socorrido por PMs, Sylos foi levado ao hospital, onde morreu. Os bandidos fugiram em direção a Novo Hamburgo num Palio vermelho quatro portas. Dois suspeitos foram identificados pela Polícia Civil, que elaborou retratos falados. Eles seriam conhecidos por envolvimento em assaltos, mas até a noite permaneciam foragidos.

– Vamos pegá-los – garantiu o delegado regional Edilson Chagas Paim.

Segundo ele, uma equipe extra com seis policiais foi integrada à 1ª DP para reforçar as investigações. A BM incrementou o patrulhamento nas ruas com barreiras nos principais acessos a Sapucaia e cidades vizinhas."

(Fonte: Zero Hora, Corrreio Braziliense)

2 comentários:

  1. É pena quando isso acontece, um homem de bem morrer assim de uma forma tão violenta por covardes!

    ResponderExcluir
  2. esse Tenente-Coronel honesto acredito ser a maioria, mas a parte séria acaba pagando o pato, por conta da banda podre..

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.