CIVITATE - INCENTIVADORES

segunda-feira, 19 de abril de 2010

GOVERNADOR EXONERA A CÚPULA DA SEGURANÇA PÚBLICA E EXPULSA 54 POLICIAIS

"Tomam posse esta manhã (19/04) o novo secretário de Defesa Social (SDS) e o novo Comandante da Polícia Militar de Pernambuco. Para a SDS vai o atual diretor do Departamento Penitenciário Nacional, ligado ao Ministério da Justiça, o delegado federal Wilson Damazio, que foi superintendente da PF no estado. Já na PM fica o coronel Antônio Carlos Tavares Lira, que era Chefe do Estado Maior. A solenidade está marcada para as 11h, no Palácio do Campo das Princesas.

Na queda de braço entre os dois homens mais fortes da Secretaria de Defesa Social do governo do estado, não houve vencedores. O secretário estadual da pasta, Servilho Paiva, e o comandante geral da Polícia Militar, coronel José Lopes, entregaram os cargos por desentendimentos pessoais e o governador Eduardo Campos (PSB) aceitou. Como o nível de desgaste na relação entre os dois chegou ao extremo e não houve conciliação até a última sexta-feira, prazo dado por Servilho para que o governador escolhesse ele ou o comandante, Eduardo Campos optou por uma saída radical nesse final de semana. Ao invés de escolher "um ou outro", Eduardo anunciou a mudança dos dois nomes.


A mudança aconteceu a contragosto de EduardoCampos. O número de homicídios cravou em março o 16º mês seguido em queda, mas extraoficialmente a primeira quinzena de abril apresentava uma leve ascensão, momento de pico da crise na pasta. O governador assumiu a decisão política de substituir os dois (e não apenas um) na tentativa de zerar o problema e restabelecer a hierarquia na SDS. Desde o fim de março, isso não estava mais acontecendo, a ponto de José Lopes conseguir a assinatura de 21 coronéis e negociar um reajuste salarial maior para a categoria no Palácio das Princesas. Esse papel caberia a Servilho na escala hierárquica. Foi a gota d‘água para o ex-secretário. E, nessa crise, como antecipou o Diario na última sexta-feira e foi confirmado pelo diariodepernambuco.com.br na noite de sábado, não deu mais para ambos. O secretário-adjunto, Cláudio Lima, também deixou seu posto. Por enquanto, nenhum outro nome ligado a Servilho, que veio da PF, sairá.


Nome sempre especulado a cada mudança de secretário de segurança de Pernambuco, como ele mesmo disseontem ao Diario, o delegado federal Wilson Damazio dessa vez será empossado no cargo. Conhecido por ter comandado a Polícia Federal no estado, ele assume com a missão de manter, em pleno ano eleitoral, o que vinha sendo feito por Servilho, considerado um dos destaques na gestão Eduardo Campos.


O "sim" ao convite foi dito por Damazio, ontem, numa reunião realizada na casa do governador pela manhã. Ele falou com o Diario por telefone sobre o novo desafio e disse que pretendia "continuar o trabalho que vinha dando certo" e iniciado por Servilho ainda em 2007. Ainda segundo informações do Palácio, o convite feito a Damazio passou por negociações com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, já que ele era diretor do Sistema Prisional Federal. Na conversa com o ministro, o governador ressaltou a importância da "continuidade" e de trazer um nome para o cargo que já conhecesse os problemas de Pernambuco. "Damazio é um profissional muito respeitado, que conhece profundamente a realidade do nosso estado. Pernambucano que é, ele vinha acompanhando o trabalho desenvolvido no estado e até mesmo o modelo de gestão (que estabelece metas)", declarou o governador em nota à imprensa.


Para evitar quebra de continuidade, o Palácio informou que Damazio participou, ainda ontem, de reuniões com Eduardo Campos e integrantes do governo para se atualizar, saber mais sobre as metas e resultados obtidos na gestão desde a criação do Pacto Pela Vida, em março de 2007. No encontro, ele indicou o coronel José Lopes para outro cargo - hierarquicamente inferior ao de comandante geral. Servilho voltará aos quadros da Polícia Federal enquanto José Lopes ficará na coordenação da política de prevenção social gerida pela SDS no âmbito do Pacto pela Vida. O convite foi aceito.


A escolha por Damazio, nome que era ventilado desde a gestão de Jarbas Vasconcelos (PMDB), também foi uma forma de evitar atritos entre as polícias Civil e Militar. De acordo com fontes da polícia, ter um delegado federal no comando da SDS tem sido uma boa estratégia desdeo início da gestão. Tanto por levar a linha de inteligência da Polícia Federal para o cargo, como para evitar rixas que sempre surgiam quando um PM ou um civil era indicado para o cargo.


Perfil


Natural de Olinda, 54 anos, formado em direito. Em 1978, entrou como agente na Polícia Civil. Em 1980, ingressou como agente na Polícia Federal, por meio de concurso. Em 1985, também por concurso público, assumiu a função de delegado da PF. Entre os anos de 2002 e 2004 foi superintendente do órgão no estado. Atualmente, era diretor do Departamento Penitenciário Nacional."


54 EXPULSÕES

"Cinquenta e quatro policiais foram expulsos da corporação em Pernambuco neste fim de semana, sendo 42 da Polícia Militar e 12 da Polícia Civil. A relação dos nomes foi publicada no Diário Oficial. De acordo com a Secretaria de Defesa Social, eles estariam envolvidos em crimes e desvios de conduta.

Os policiais foram descobertos durante operações como Aveloz, Canaã e Contragolpe, que desarticularam grupos de extermínios existentes no estado.

Também foram expulsos policiais envolvidos num crime que marcou o Carnaval de 2006 no Recife. Na época, houve denúncias de que os PMs espancaram e obrigaram dezessete jovens a pular no Rio Capibaribe, perto do Fórum Joana Bezerra. Sem saber nadar, Zinael José da Silva, 17 anos, e Diogo Rozendo, 15 anos, morreram afogados."

(Fonte: Diário de Pernambuco. pe360graus.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.