CIVITATE - INCENTIVADORES

sexta-feira, 30 de abril de 2010

DECRETADA A PRISÃO PREVENTIVA DE DIRETORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

"O juiz Aldear Sternard, da Vara de Inquéritos Policiais decretou, na noite de quinta-feira (29/04), a prisão preventiva dos ex-diretores da Assembleia Legislativa do Paraná Abib Miguel, o Bibinho (Diretoria Geral), José Ary Nassif (Diretoria Administrativa) e Cláudio Marques da Silva (Diretoria de Pessoal), e de João Leal de Matos, funcionário da Diretoria Geral. Os quatro estão presos desde o último sábado pelo Grupo de Atenção Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) acusados de desvio de recursos públicos através da contratação de funcionários fantasmas no Legislativo paranaense. A prisão temporária deles venceria na segunda-feira.

O pedido de prisão preventiva foi requisitado pelo Gaeco após a comprovação pelo Ministério Público de que o dinheiro depositado em contas de funcionários que nunca trabalharam na Assembleia foi destinado para a fazenda de Bibinho em São João d'Aliança, interior de Goiás. Entre os funcionários fantasmas estavam as parentes de João Leal de Matos - Priscila da Silva Matos, Maria José da Silva, Nair Terezinha da Silva Schibicheski, Jermina Maria Leal, Vanilda Leal e Iara Rosane da Silva Matos - também presas no sábado mas todas já liberadas pela Justiça.

"Documentos apreendidos na operação de sábado compravam a existência desse mecanismo. Os salários eram depositados nas contas dessas pessoas. Alguém fazia o saque e, ao menos uma parte desse dinheiro, foi enviada para a fazenda Isabela, de propriedade do senhor Abib Miguel", disse o procurador de Justiça Leonir Batisti, coordenador do Gaeco.

A defesa de Bibinho informou que estava aguardando a comunicação oficial da decisão, mas que já prepara pedido de habeas corpus, que deverá ser entregue na segunda-feira. A defesa também estuda petição para que o processo seja encaminhado à Justiça Federal.

Nesta tarde, o Ministério Público protocolou denúncia contra o ex-deputado Luiz Carlos Zuk por peculato (apropriação ou desvio de valores feito por funcionário público). Zuk é acusado de contratar 16 funcionários fantasmas, no período de 1999 a 2002. De acordo com a Promotoria, o total do desvio chega R$ 1,39 milhão (valores atualizados apenas com a correção monetária)."

(Fonte: Terra)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.