CIVITATE - INCENTIVADORES

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A LIDERANÇA DAS DUAS PARTES

"Sempre me pergunto o que torna uma franquia tão diferente da outra? Dentre tantos itens que podem compor a resposta, destacam‑se as diferenças na organização, na quantidade de informações e, especialmente na energia que o franqueador é capaz de transferir ao seu sistema.

O nosso trabalho de formatar uma franquia consiste, essencialmente, em estruturar processos, registrar os eventos transformadores de informações, organizá‑los de forma que possam gerar as diretrizes básicas do sistema operacional da franquia, e criar a documentação legal exigida pelo sistema. Mas, paralelo ao processo de formatação é fundamental a atuação positiva do franqueador, gerando a energia necessária para fazer do sucesso do negócio e da marca uma jornada e não somente um destino a ser conquistado.

A energia de que falo é a que vibra, que gera impulsos e informações não codificadas por nós consultores. Ela erradia do franqueador para a rede, é diretamente dependente da atitude mental do franqueador. São seus pensamentos, palavras e atitudes que motivam o grupo, excitam a criatividade, buscam a abundância que cria estilo e assegura a evolução e exatidão dos padrões e formas do negócio. O papel da liderança positiva do franqueador dentro do sistema de franquia é fundamental.

É importante que o franqueador lidere seu grupo de franqueados, com o objetivo de mantê‑los unidos em torno de um mesmo projeto: o fortalecimento e expansão da marca. Cabe ao franqueador ajudar e motivar seus franqueados na solução de problemas e desafios e na identificação de novas e mutantes oportunidades dentro do segmento de negócio em que atuam. Ou seja, exercer a liderança necessária para ajudar seus franqueados a transformar um ideal em uma realidade de negócio tão bem sucedida quanto à sua.

Por outro lado, os franqueados precisam estar dotados da mesma atitude mental do franqueador, tornando‑se seu aliado. Franqueador e franqueados devem atuar como empresários que compartilham os mesmos valores, princípios e metas. A cada franqueado cabe liderar sua equipe, motivá‑Ia a trabalhar pelo sucesso e prosperidade da empresa, prestando aos clientes atendimento e serviços de alta qualidade.

As duas lideranças têm papéis distintos dentro do sistema de franquias. São empresários que, na maioria das vezes, precisam ter um posicionamento comum, principalmente em relação ao mercado. Porém, quando surge alguma resistência dentro do grupo, a abordagem não pode ser tomada como uma questão meramente pessoal. Certamente não o é. As pessoas podem se posicionar contra uma ou outra decisão. E em casos de conflitos, a melhor saída é buscar um analista externo para ajudar a distinguir as posições e separar as pessoas dos seus papéis profissionais.

Todos os dois líderes deste sistema precisam encontrar diariamente alguns minutos para ver sua empresa de fora, analisar e interpretar a realidade, criar momentos de paz e reflexão, buscando dar mais significado e valor à vida. Saber que não existe liderança sem fortes parcerias, e que, desenvolver parcerias quer dizer lidar com gente, com emoções, valores e princípios morais. Entender que "sucesso inclui também saúde, energia, entusiasmo pela vida, relacionamentos compensadores, liberdade criativa, estabilidade física, emocional, bem estar e paz de espírito". (Deepak Chopra).

A temática selecionada prende-se com a convicção que o comportamento das pessoas lideradas e o clima da organização estão diretamente relacionados com os estilos de liderança.

No entanto, a realização de uma pesquisa desta amplitude abriria um campo demasiado vasto e tornar‑se‑ia impraticável dado o razoável número de estabelecimentos de ensino que seria necessário estudar. Assim, o tema inicialmente pensado, devido às razões apresentadas, sofrerá algumas limitações que se traduzirão na utilização do método de "Estudo de Caso”. Logo, a pesquisa irá incidir sobre um único estabelecimento de ensino que se prevê que seja a Escola Nº 1 do Laranjeiro, considerada individualmente como uma organização.

Através desta investigação, pretende‑se conhecer a relação existente entre o "estilo de liderança" – variável independente e o clima de escola – variável dependente, no contexto específico de uma escola."
(Fonte: Temas e Chefia & Liderança)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.