CIVITATE - INCENTIVADORES

sábado, 4 de setembro de 2010

POLICIAIS MILITARES, O SERVIÇO, O SONO E A INCOERÊNCIA

(Coronel BM Duarte Frota)

"Ao ler em jornais locais de hoje 03 de setembro de 2010, o artigo: Policiais flagrados dormindo em serviço, construiremos referência a um tema paralelo e, em seguida as observações pertinentes a discussão do assunto em tela.

Este texto é fundamentado no excelente trabalho monográfico da lavra de Francisco Hilângelo Viera Barros, com o tema: avaliação da privação do sono e dos padrões fisiológicos nos profissionais de enfermagem do município de Quixadá, orientado pela profª MS Luisa Helena de Oliveira Lima.

Entre os mais antigos grupos profissionais que trabalham em sistemas de turnos, encontram-se os dos serviços de saúde, dentre os quais os enfermeiros e os auxiliares de enfermagem. Vários estudos foram realizados para avaliar as conseqüências do trabalho em turnos no ciclo vigília-sono dos trabalhadores da área da saúde.

Foi relatado que pode haver prejuízos à saúde do trabalhador deixando seqüelas, quer seja nos aspectos psíquicos, físicos, emocionais, quer seja nos seus aspectos sociais, familiares e interpessoais. O sono desempenha importante papel na fisiologia de diversos sistemas. A privação do sono ocorre com freqüência em situações de trabalho, particularmente o trabalho em turnos, nas doenças do sono, nos transtornos de ansiedade e depressão e na presença de estresse inevitável.

A espécie humana, como muitas outras, organiza suas atividades segundo um ciclo de 24 horas. O sono desempenha importante papel na fisiologia de diversos sistemas. O estresse ligado ao trabalho noturno resulta de três fatores gerais: desincronização do ritmo circadiano, alteração da vida social e familiar e privação do sono. Estes fatores podem interagir para produzirem os efeitos prejudiciais sobre o bem-estar geral, psicológico e físico, do trabalhador noturno. Dormir durante o dia é extremamente desfavorável devido à não adaptação dos ritmos biológicos.

A fadiga aguda ou crônica produzida por muitas horas de trabalho, associada à privação ou redução significativa das horas de sono, são os principais fatores que influenciam no desempenho do indivíduo. Nos casos dos policiais dormindo em serviço este fato está sendo rotineiro nas escalas do programa Ronda do Quarteirão.

A Polícia Militar, através de um oficial, afirma em matéria divulgada: "que atitudes como essas não serão aceitas. O policial é pago para trabalhar em prol da sociedade. Quem não se adequar vai sair”. Já o presidente da Associação do Militares, Flávio Sabino, afirma que a escala atual de três dias de trabalho noturno por um de folga é insuportável.

O que fazer? Continuar esta escala desumana e prender todo o efetivo que fatalmente não resistirá aos anseios do organismo? Reorganizar a escala em base científica e humana? Ou continuar na verdade absoluta? As autoridades constituídas devem apresentar uma resposta calcada na dignidade da pessoa humana, ou será que o militar não é humano?"

(Fonte: Via e-mail de José Ananias Duarte Frota - Coronel da reserva. Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará - 2003 a 2006. Presidente da Liga Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil - 2005 a 2006. Foto: Facebook)

2 comentários:

  1. O Corpo de Bombeiro do Ceará tem orgulho deste brilhante Oficial.Como comandante lutou pela sua instituição. Avançou muito, principalmente no aspecto humano da tropa(promoção,escala de serviço,gratificações que servem como aumento indiretoetc. Nós PPMM temos,JUNTO com comando da corporação,lutarmos para adquirimos estas melhorias.
    Parabens Bombeiros Militares do Ceará.
    Parabens Cel Duarte.
    Juntos chegaremos LÁ.

    ResponderExcluir
  2. FRANCISCO HILÂNGELO VIEIRA BARROS29 de setembro de 2010 18:48

    Sou Francisco Hilângelo Vieira Barros, enfermeiro há mais de dois anos, residente em Quixadá/CE; primeiramente gostaria de demostrar a imensa satisfação em ver um projeto meu sendo citado por vossa excelência, o Coronel José Ananias Duarte Frota e editado no site da vossa excelência o Coronel Adail Bessa de Queiroz! Sou filho de militar e de uma família com história militar( Ex: Coronel da reserva Dário Grangeiro Cruz, Coronel Taumaturgo Grangeiro, Coronel Geovanni Mendonça, e outros); gosto muito da profissão, pretendo tentar o CFO, em fim; afirmo que todos os profissionais merecem trabalhar com direitos de descanço que no caso é o sono; quando apliquei os questionários, foi verificado dois casos de início depressão e que até hoje tem uma das pesquisadas que ainda está com o mesmo problema e que, segundo a escala de EPWORD, um dos problemas de saúde relacionados seria a depressão. No caso do profissional militar não é diferente, pois a privação de sono(trocar o dia pela noite, trabalhar sem folgas, etc.) pode ocarretar não só esse problema como muitos outros. É muito importante que seja debatido e, se possível, modificado a forma de trabalhar desses e de outros profissionais.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.